O tempo do lugar

As surpresas estão ocultas, períodos indefiníveis. Conhecem-se as estações mas não se conhece o dia em que a flor de um sabugueiro começa a brotar. O tempo desvela o lugar ao ser, constantemente, o que implica, se assim for a nossa intenção, desocultar tudo o que é ocultado na natureza. Um musgo no outono mostra-se mais verde e vivo do que no verão, consegue preencher uma floresta inteira. Aqui entro no tempo das coisas, na força da vida. Conhecer uma árvore implica conhecer-lhe as estações. Um carvalho, de um outono ao outono seguinte transforma-se por completo.

Marco Pestana