Daniel Fernandes

Nota Biográfica . Daniel Fernandes

Daniel Fernandes (Lisboa, 1983) vive e trabalha no Cacém. Expõe regularmente o seu trabalho desde 2011. Em 2020 integra o ciclo de exposições It`s the end of the world as we know it and I feel fine / not fine, organizado pelo 601 Artspace em Nova Iorque, a exposição coletiva Gloria, na Appleton – Associação Cultural em Lisboa e apresenta o projeto colaborativo O TÚNEL DO JAVALI, no Espaço Pontes – Associação Luzlinar, Fundão. Foi Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Participou nas Residências artísticas Inter.meada – Marin-Gaspar (Alvito), Centro de estudos para Arte Contemporânea (V.N. Barquinha) e Associação Luzlinar (Aldeia do Feital). Concluiu o Mestrado em Artes Plásticas na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha.

Residência Círculos (2019)

Os territórios das Serras do Feital, Vilares e Broca albergam uma presença vasta e múltipla da expressão da construção em técnica da pedra seca que pretendemos integrar nos processos de investigação e criação artística relativos ao desenho, à escultura, à produção de espaço e à paisagem.

Círculos tem como matéria de investigação artística e científica (Arqueologia e Geografia) a presença extensiva de maroiços (construção piramidal ou cónica), muros e outras manifestações de ordenamento elementar e informal do espaço das actividades rurais ou outras.

Investigação e criação artística através dum reconhecimento de caminhos pedestres, povoações e suas comunidades, actividades rurais, e construção experimental de objectos pétreos para o pensamento da sua preponderância na paisagem.

Residência Círculos (2019)

‘O túnel do javali’
exposição de Daniel Fernandes
com Catarina Lopes Vicente, Daniel Barroca e Rui Castanho
30 de Janeiro a 5 de Março 2020
Espaço Pontes, Fundão

Na exposição será mostrado um conjunto de obras, desenhos, vídeo e escultura, que o artista realizou entre 2012-20. Para além das obras de Daniel Fernandes, o artista convidou os artistas Catarina Lopes Vicente, Daniel Barroca e Rui Castanho a desenvolverem trabalhos para o projecto. A ideia deste convite tem como interesse deslocar um momento individual, para um espaço partilhado e colectivo.