Raquel Díaz
bio

Nasceu em Ávila (Espanha) em 1994.
Licenciatura em Belas Artes pela Universidade Complutense de Madrid em 2017. Programa Erasmus na Academia de Belas Artes de Bolonha (2015-2016). Mestrado em Gestão Cultural pela Universidade Carlos III de Madrid.
Realizou um estágio no Centro de Documentação do Círculo de Belas Artes de Madrid. Participou no Programa Erasmus + no Departamento Curatorial da Galeria de Arte Moderna e Contemporânea (GAM) de Turim em 2017. Trabalhou na Real Academia de Espanha em Roma com a bolsa de gestão e cooperação cultural no estrangeiro MAEC-AECID (2019-2020).

O encanto da paisagem

O meu trabalho remete a temas como a identidade, a memória e o esquecimento. Trato de pensar a construção da subjectividade individual e colectiva nos processos de memória.

No meu projecto quero mostrar o valor da vida comunitária nos núcleos rurais. Pretendo criar ferramentas visuais e narrativas que evidenciem a importância dos vínculos na formação da identidade.
Assim, o tecido social está intimamente ligado a uma materialidade compartida (indumentária, rituais, ferramentas de trabalho) e a uma conexão emocional com os objectos e o espaço. Desta maneira, integro registos e arquivos do passado, como fotografias e objectos quotidianos, tendo em conta a cultura material da zona, sem esquecer a paisagem.

Durante as minhas estadias desenvolvi o meu trabalho estabelecendo relações com os habitantes das aldeias, procurando valorizar o património material e imaterial deste território através da investigação e criação artística.

Com o meu trabalho pretendo sugerir os laços entre a lembrança pessoal e a memória colectiva, a dualidade entre entesouramento e exibição. Desejo avivar as recordações para que estas imagens e dinâmicas colectivas não sejam material para o esquecimento.

Aí onde não estás nem és
Lugar Sagrado, Antiga Capela do Feital

“O que domina, em toda alteração
é a persistência da matéria velha;
a infidelidade ao passado é apenas relativa.”
F. de S.

Projecto Bosques

Entrevistas aos vizinhos e vizinhas das aldeias